Vila de Apúlia

Orago: S. Miguel.
Actividades económicas: Pesca, agricultura, industria têxtil e turismo.
Festas e romarias: Nossa Senhora da Guia e Senhora do Amparo (Agosto).
Locais de interesse turístico: Cruzeiro da Agra dos Mouros, Capela de S. Bento, Capela da Senhora do Amparo e Moinhos, Praias
Colectividades: Grupo dos Sargaceiros de Apúlia, Gaivota - Associação da Defesa do Ambiente, Grupo Desportivo de Apúlia, A.S.C.R.A. - Associação Social Cultural e Recreativa de Apúlia, Corpo Nacional de Escutas - Agrupamento 1217, Associação Guias de Portugal

A origem do nome anda ligada à tradição de que os romanos, seus ocupantes, lhe deram nome idêntico à Apúlia italiana, hoje denominada Terra de Otranto, Terra de Bari e Capitanato. Com efeito, é notória a semelhança entre a povoação portuguesa e a província italiana de Púglia, antes denominada de Apúlia.
A sul, no sítio da Ramalha, recentes escavações para aproveitamento das areias, transformando-as em terreno de cultivo, têm revelado vários objectos e sinais de casas com características da época romana. Ali existiu a Vila Menendi, ou Vila de Mende, couto de Tibães. À Vila de Mende foi concedida foral por D. Afonso Henriques.
Bento Antas da Cruz, por consulta às actas da Câmara de Barcelos, afirma que entre Apúlia e Fão existiu uma outra freguesia chamada Paredes. Na Agra dos Mouros ficava a igreja paroquial dessa freguesia que em data indeterminada foi anexada à de Apúlia, passando a ser lugar.
No aspecto monumental, possui inúmeras capelas e igreja matriz cuja data remonta, pelo menos a 1696. Das capelas mais importantes salienta-se a de Nossa Senhora do Amparo, no Lugar de Criaz.
No plano etnográfico, além de algumas lendas à volta do nome e dos habitantes de Apúlia, bem como sobre a fundação de algumas das suas capelas, o que, de facto marca a etnografia apuliense, é o fenómeno ligado ao mundo do sargaço.
Uma das curiosidades naturais de Apúlia é a sua lagoa. Povoada de juncos e "palha da lagoa", esta é, ainda hoje, aproveitada para o fabrico artesanal de caldeirões, tapetes, capachos e coberturas de cabanas.
A praia de Apúlia, pelas suas condições naturais e propriedades terapêuticas que lhe são atribuídas, é muito procurada na época balnear.